Área Restrita

Notícias do Site:

CLIC :---------->   Ofertas da Semana!      @ Ultimas Noticias     
00:00:00

16/03 -- Protesto reúne 800 em Tubarão « voltar


Data: 16/03/2017
Local:


Cerca de 800 pessoas de 16 entidades e sindicatos de Tubarão e região participaram do protesto contra a reforma da Previdência, ontem, na Cidade Azul. A passeata, ocorrida de manhã, saiu da frente da antiga rodoviária e seguiu até o Museu Willy Zumblick. À tarde, houve concentração no local.

Representantes de movimentos sociais e sindicais, funcionários municipais e federais, trabalhadores do campo e da cidade, professores, carteiros, bancários e religiosos participaram do protesto, que ganhou corpo em todo o Brasil. Com faixas, cartazes e cruzes – que foram colocados no canteiro central da Marcolino Martins Cabral –, os manifestantes demonstraram revolta.

Entre os setores mais afetados pelo protesto ontem estavam os serviços de Correios – mais de 40 carteiros aderiram ao movimento – e escolas das redes municipal e estadual. 

Segundo Laura Oppa, presidente do Sintermut, o movimento superou as expectativas. “Saímos com dois encaminhamentos: vamos fazer, em abril, protesto num fim de semana, para ter a participação de famílias. Será uma passeata contra a reforma. Além disso, recebemos o convite para uma audiência pública, que será no dia 17 de abril em Capivari de Baixo, de autoria do vereador Elto Aguiar Ramos, para que as entidades façam questionamentos para deputados convidados.” 

O presidente do Sindicato dos Ferroviários, Jerônimo Miranda Netto, diz que a população deve estar ciente sobre o que realmente poderá acontecer. “Não se trata de reforma, é a destruição da Previdência! E nem se trata apenas da Previdência, é a privatização, a destruição das leis trabalhistas, o congelamento dos gastos públicos com saúde, educação, saneamento básico, segurança. O povo precisa acordar enquanto ainda há tempo.” 

A presidenta do Sinpaaet, Gisele Vargas, chama os representantes políticos à responsabilidade. “O governo quer nos fazer engolir reformas absurdas e inaceitáveis, como a da Previdência e a trabalhista. Viemos para as ruas dar uma resposta a eles: não aceitaremos qualquer tipo de redução de nossos direitos.”


Brasil e Santa Catarina

Em todo o país, 24 capitais e o Distrito Federal realizaram manifestação ontem. Transportes públicos pararam em várias capitais, e vias foram bloqueadas. Em alguns Estados, como Pernambuco e Rio Grande do Norte, professores da rede pública decretaram greve por tempo indeterminado.
Em Santa Catarina, Florianópolis e Blumenau registraram atos na tarde de ontem contra a reforma da Previdência. As duas cidades também realizaram paralisação do transporte coletivo. Pela manhã, ao menos quatro cidades catarinenses tiveram mobilizações, sendo elas Tubarão, Itajaí, Chapecó e Joinville. Na capital, de acordo com a CUT, cerca de 10 mil pessoas participavam da manifestação às 17h.

DS