Área Restrita

Notícias do Site:

CLIC :---------->   Ofertas da Semana!      @ Ultimas Noticias     
00:00:00

Trecho Sul: tarifa do pedágio será a mais alta « voltar


Data: 08/11/2017
Local:


O trecho Sul da BR-101, entre Palhoça e o Rio Grande do Sul, deve ser concedido à iniciativa privada no ano que vem. O valor que deve passar a ser cobrado em 2019, na região, deverá ser o mais caro do Estado.

O diretor-presidente da Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT), Jorge Bastos, em entrevista à rádio CBN/Diário, informou que não há condições de praticar os mesmos valores que já estão em vigor. “Porque quando fizemos a licitação no passado vivíamos um outro momento econômico”, afirmou Jorge Bastos. 

Atualmente, na praça de pedágio instalada em Palhoça pela Autopista Litoral Sul, o valor cobrado para automóveis é de R$ 2,60. Ou seja, quando for efetivada a praça de pedágio na região, o custo será superior a este. Jorge Bastos não informou qual é o valor previsto para a futura cobrança. 

Para ser lançada a licitação do trecho Sul ainda é necessário realizar audiências públicas obrigatórias, o que estava previsto para este segundo semestre, mas não ocorreu até o momento. A expectativa é de que o leilão do trecho seja realizado no primeiro semestre de 2018, com cobrança em 2019. 

Com a concessão, a rodovia passa a ser administrada pelo setor privado e, por isso, ocorre a implantação de pontos de pedágio. No total, serão 348 km de concessão. A empresa que vence o leilão fica responsável por itens como manutenção e conservação do trecho, implantação de sistemas de socorro, entre outros pontos, que estarão previstos no edital. 

A duplicação da BR-101 terminou no ano passado, após a conclusão das obras complementares do túnel do Morro do Formigão e a entrega da antiga ponte Cavalcanti, o último gargalo da rodovia no trecho Sul.


Sem detalhes

A equipe do DS solicitou mais informações sobre a licitação para a assessoria de imprensa da ANTT, mas foi informada que seria necessário entrar em contato com o Ministério dos Transportes, apesar de ter partido do diretor-presidente da própria agência os dados. Nos Transportes não houve retorno até o fechamento desta edição.

DS