Área Restrita

Notícias do Site:

CLIC :---------->   Ofertas da Semana!      @ Ultimas Noticias     
00:00:00

Violência: mulheres se unem e pedem por Justiça « voltar


Data: 17/10/2017
Local:


Amigos e familiares da tubaronense Bruna Quintian, 31 anos, foram ontem às ruas para protestar. Com cartazes em mãos, a manifestação seguiu até o Fórum de Tubarão. O pedido é de justiça depois que o acusado de esfaquear a mulher, há uma semana, se apresentou à polícia e, por decisão judicial, foi liberado. 

Vestidos de preto e com gritos de apoio a Bruna, além do pedido de justiça, os participantes do protesto seguiram pela avenida Marcolino Martins Cabral. A companheira de trabalho de Bruna, Rosângela Goulart, diz que o caso não pode ficar impune. “Ela está (no hospital) lá dilacerada, lutando pela vida. E ele, livre. Como se nada tivesse acontecido. Como acreditar na Justiça?”, questiona a amiga. 

Bruna foi esfaqueada na madrugada do dia 8, na frente do filho de 14 anos e, desde então, luta pela vida na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) do Hospital Nossa Senhora da Conceição (HNSC), em Tubarão. Segundo os amigos, a tubaronense teve parte do intestino retirada, lesões em um dos olhos e perfuração grave em um dos braços. 

Desolada pela situação que a única filha está passando, a mãe de Bruna, Neusa Maria Rosa Quintian, fala que teme pela segurança da filha. “Quem me garante que ele não vai terminar o que começou? Tá aí livre. Ele não queria ferir. Queria matar. Eu sou mãe e tenho medo. Quem me garante que ele não vai fazer mais nada?”, desabafa a mãe. 

Ainda no fórum, os participantes do protesto realizaram uma volta em torno do prédio, como forma de sensibilizar as autoridades. “Queremos chamar a atenção para o caso. A situação da Bruna traumatizou a todos. Não queremos que outras mulheres sejam vítimas de tamanha atrocidade”, diz Rosângela.


O crime

Bruna, segundo a polícia, foi ferida em uma discussão com o companheiro, por volta das 3h30 do dia 8 de outubro, na residência do casal. Depois de golpeá-la, o acusado fugiu e não foi mais encontrado, até se apresentar à polícia na semana passada e ser liberado pela Justiça. O filho da vítima, de 14 anos, pediu socorro para a avó, e o Samu foi acionado.

DS